6.Thereza

Thereza Piovesan.
Nasceu em 09 de novembro de 1934 em Bom Retiro. Foi batizada 09 de novembro de 1934 tendo como padrinhos de batismo Atílio Zanon e Amélia Bisognim. E sua madrinha de crisma foi Luiza Zanon.

Irmã Thereza Piovesan

Irmã Thereza Piovesan

Thereza. Nasceu ao clarear do dia 9/11/1934- tempos de colher trigo, limpar as lavouras de milho e feijão, etc. A mana Ignês diziam, para me aporrinhar, que eu tinha uma carrinha redonda como um repolho era bonita só quando nenê- “Beli em fassa e brutti in piassa”- entenda essas crianças! A situação financeira, nesta época era critica: Dividas e juros a pagar prá relatar: Morreu um dos bois de canga, fugiu e comeu uma planta venenosa! E todo o trigo pra trazer pra dentro, lavrar as “resteve” (onde fora colhido o trigo e plantar fumo etc.(isso mamãe contava), mas eu não me lembro. Por exemplo, neste mesmo dia 9 á tarde, a Ignês e papai, me levaram para ser batizada na Igreja Santíssima Trindade, sendo meus padrinhos os tios Joanim e Luisa Piovesan e o Pe. João Zanella me acolheu e batizou em nome da igreja – papai estava feliz porque não queria criança pagã em casa -era a mentalidade e piedade da época. De tão contente comprou duzentos reis de doces para os que estavam em casa.
Foi à escola pela primeira vez, em um colégio que se localizava onde está hoje a ótica do Cerezer sendo a professora Irmã Natalina, ela gostava de levar os alunos na Igreja antes de começar a aula, e lá a gente as vezes encontrava o Pe. João Zanella que parava e conversava conosco, a professora então ensinou aos alunos a saudá-lo em latim: Sai lodatto Jesu Crhisto! E os alunos respondiam Para sempre sai lodatto!
A professora fazia questão de ensinar os alunos individualmente em suas classes ensinando e fazendo carinho. Uma vez por semana cantava o hino nacional, hino da Bandeira e desfilavam no dia 7 de setembro.
No segundo ano la pelos anos de 1942, foi estudar na escola da Cezira Grotto Turra que se localizava na Linha Um, comunidade do interior de Nova Palma, neste local estudavam mais ou menos 12 alunos. No recreio ela ensinava musica como: Marcha soldado, Ciranda cirandinha, eu sou pobre… pobre. etc.
Estudou então na 3° e 4° ano na escolinha do Bom Retiro sendo sua professora Rita Rossato. Porém quando passou do quarto ano não havia mais o que estudar então ele deveria ficar em casa, com apenas 10 ou 11 anos. Então Thereza não querendo ficar em casa sem estudar falou com sua mãe e ela falou com a professora. A professora disse que a única alternativa era ela voltar para trás, para o 3° ano de novo. Então Thereza aceitou, pois ela disse que não se importava de voltar para trás desde que fosse para escola. E além de estudar ela começou a ajudar a professora no que fosse preciso. Terminou de novo então ficou em casa e começou a se dedicar a leitura de livros que pegava emprestado na casa canônica, sempre escolhia o mais grosso para demorar a acabar.
Gostava de cantar na Igreja. Numa procissão do Santíssimo todo 3° domingo do mês, Thereza e Abel que eram crianças, iam juntos com a procissão e cantavam, numa destas ocasiões um Pigatto, deu para Antônio duas moedas para as crianças como reconhecimento e incentivo.
Quem ensinou o catecismo para Thereza foi sua mãe, e depois o Pe. João Zanella, duas semanas antes de passar a 1° comunhão. Abel e Thereza faziam disputas para ver quem aprendia primeiro o catecismo e estudávamos em cima da carroça ou em cima das árvores e depois tomavam um à lição do outro.
Algumas das suas colegas de aula foram: Rosalina Zanon, Alzira Vestena, Olinda Vestena, Nilda Vestena, Otávio Zanon, Aduilho Canzian, Neli Rossato etc.
Foi Filha de Maria, começou contava mais ou menos com 15 anos, rezava o oficio de Nossa Senhora e quando tinha procissão usavam um vestido branco. Teve uma época em que as filhas de Maria não podiam dançar, e numa festa em família Thereza e Ignês dançaram e alguém comunicou ao Padre, este então excluiu elas do grupo e seu nome foi dito na reunião que acontecia dentro da igreja. Pio não se conformou com a expulsão de suas irmãs foi falar com o padre e este disse “se eu soubesse que elas eram suas irmãs não as teria expulsado”.
Aos 21 anos em meados de 1955, algumas amigas como a Iracema Piovesan, Neli Rossato entre outras convidaram Thereza para retornar para o grupo das Filhas de Maria, pois era véspera de 15 de agosto. Então falaram com o padre e este concordou com sua volta, como ela não tinha roupa branca para vestir as amigas emprestaram uma saia preguiada e uma blusa. Assim no dia 15 de agosto ela recebeu novamente a fita de Filha de Maria. Passado alguns meses houve uma eleição para nova diretória e Thereza ganhou em 2° lugar, o primeiro foi da filha de seu Isidoro Rossatto, então em março ele resolveu entrar para a Congregação das Irmas Palotinas, ficando Thereza como presidente. Passando 2 anos nova eleição e foi reeleita. Certa vez, conversando com Pe. Luizinho e dizendo que uma excluída era presidente e ele falou: Fique tranqüila faça o que é melhor, e a história mostrará quem é você e onde está a verdade. Thereza permaneceu na direção até a entrada para a congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, em Gramado, no ano de 1960.
Pe. Luizinho achava que Thereza deveria ficar em Nova Palma. Sem ela perceber se tornou o braço direito dele, pois ajudavam na catequese, cantos e como filha de Maria e os anos iam passando… Um dia Ignês falou: Tu não acha que o Pe. Luizinho diz que tu não tens vocação porque ele tem medo que tu vá embora de Nova Palma e ele não tenha mais quem o ajude?
Logo depois veio para Nova Palma, o Pe. Afonso Correa, e Thereza resolveu conversar com ele sobre suas dúvidas. Pois sentia um vazio e uma indecisão dentro dela. O Pe. Disse para ela o que tu ainda está fazendo aqui que não tinha ido ser irmã? Pois desde que ele havia visto ela pensou está moça já devia ser freira.

Família "Toni Torccio" no dia da primeira profissão religiosa de Trereza. Da esquerda para a direita: Maria, Odila, Achiles, Antonio, Pio, Thereza, Lino, Elizabeth, Abel, Eulália e Ignes.

Família “Toni Torccio” no dia da primeira profissão religiosa de Trereza. Da esquerda para a direita: Maria, Odila, Achiles, Antonio, Pio, Thereza, Lino, Elizabeth, Abel, Eulália e Ignes.

Aos 22 anos o Achiles falou assim: “o que tu vai ser na tua vida? Uma solteirona? E Thereza respondeu: Tu vai ver o que eu vou ser. E ele disse, mas o que tu vai ser? Ela disse: Ora eu vou ser freira. Então Achiles prometeu que: “Se te vê mônega mi te pago el hábito”- respondeu: Pode guardar o dinheiro! Chegando a época de sair do noviciado e fazer os votos, ele foi até Porto Alegre e levou a quantia necessária para pagar o hábito Religioso e fez questão de estar presente em Vale Veneto na minha vestição, no dia 31 de julho de 1965.

Deixe uma resposta