5. Abel

Abel Piovesan.

Nasceu em 21 de setembro de 1932 em Bom Retiro. Foi batizado no dia 22 de setembro de 1932 sendo seus padrinhos Guerino Rossato e Ângela Rasia. E foi crismado em 1937 sendo seu padrinho João Piovesan.

Sempre  “ sem planejamento familiar” – a natureza pura e sábia chegou o Abel após mais ou menos dois anos, criança franzina e que gostava de brincadeiras criativas tais como: bois e cavalos de sabugo ou pepinos, carretos de ou zorra de lasca de madeira e roubavam os caicho de fumo para fazer a mangueira e cercas.E a roda de moinho quando chovia, que fazia andar os fios (roubados da mãe) pelas águas que caia nas pás, da casca. Isso para quem conhecia a natureza pura era uma prova de “engenheiro.” Também fazia “carretos”e os empurrava roncando como se fossem de verdade e isso até a idade adulta, ensinava aos filhos. (Thereza Piovesan).

Estudou até o 4° ano, sendo sua primeira professora Rita Rossato.

Mais tarde vendo a necessidade de estudar cursou o Mobral (O Movimento Brasileiro de Alfabetização) que correspondia ao ensino médio sendo seu professora Zita Pelegrin. Como na escola não havia energia elétrica cada um trazia de casa sua lamparina à querosene. Sua filha Maristela relata que: “Como as carteiras eram conjugadas, num dia de prova percebendo que seu colega espichava o olhar para sua prova de matemática o que ele fez: respondeu as questões  todas erradas, após o colega entregar a prova ele refez as respostas corretamente. Quando receberam a prova com as notas o colega em questão veio questionar o resultado e percebeu a enrascada que havia se metido”…

Aos 15 anos quebrou a perna quando estava correndo uma carreira com seu irmão Achiles, onde seu cavalo não venceu uma curva resvalou e caiu e Abel ficou com uma perna embaixo do cavalo.

Quebrou a perna dia 19 de maio de 1948. Conforme texto de carta de junho de 1948,  do Lino para a namorada

Quebrou a perna dia 19 de maio de 1948. Conforme texto de carta de junho de 1948, do Lino para a namorada

Na época não tinha médico então chamaram Domingos Casarin que entedia de ossos e colocou no lugar e amarando as talas e tinha que ficar imobilizado. Mas uma noite deu um temporal levou um susto e sem percebe mexeu a perna colando fora do lugar. Mais tarde percebeu que sua perna estava alguns centímetros mais curta, o que mais tarde lhe deu problemas de coluna.

Em 1945, Abel começou a tocar e cantar num conjunto chamado de Jazz Aurora, juntamente com seu irmão Pio e outros companheiros. Na época contava com apenas 13 anos. Geralmente tocavam nas festas da igreja, mas aconteceu que numa eleição municipais e estaduais foram convidados a viajar, geralmente em caminhões de cargas para Pinhal Grande, Núcleo Norte, Novo Treviso entre outros. Conforme foram casando o entusiasmo foi acabando e com o surgimento de alto falantes e discos tudo acabou em 1954.

Segundo relato feito por Selestino Rossato (Guerino), Abel desde  jovem como seus irmãos  sempre foi muito atuante e gostava de estar a par da realidade atual da época. Uma forma encontrada de participar era através de um movimento criado em meados de 1950, este movimento era o JAC (Juventude Agrária Cristã), com o objetivo de preparar os jovens para a vida e tinha um fundo religioso. Neste grupo eram discutidos temas do cotidiano como: Vivência, casamento, produção, valores, religiosidade, eram temas que os preparavam para a vida, e era um grupo bem serio e confiante. Da comunidade de Bom Retiro (localizada a 3 km de Nova Palma) havia 16 jovens que participavam destes encontros, sob a condenação de Pe. Luiz e Pe. Breno Simonetti. O grupo era composto por: Abel Piovesan, Benjamim Rasia Rossato, Selestino Rossato, Avelino Binotto, Henrique Binotto, Algemiro Vestena, Euclides Vestena, Hermes Aléssio Rossato, Valdecir Aléssio Rossato, Guido Zanon, Alcides Bertoldo, Ovídio Bertoldo, Aduilho Cancian, Rosalino Vedovatto e Alcides Dalla Nora. Este grupo durou mais ou menos 5 anos depois com o casamento de alguns e o distanciamento de outros  o grupo morreu naturalmente.

O namoro com Alzira Começou, em uma ocasião em que um grupo de amigos foi num passeio até a Usina e na volta Abel começou a conversar e posteriormente pediu a autorização para namorar, que durou por quatro anos e posteriormente o casamento.

Deixe uma resposta